fbpx

Dieta cetogênica: Quais alimentos estão incluídos e excluídos


Na dieta cetogênica, o consumo de carboidratos é bastante restrito. Qualquer alimento rico em carboidratos deve ser evitado. Cereais com glúten, como farinha de trigo, arroz, centeio e outros estão fora do cardápio. Massas, bolos e pães também devem ser evitados, mesmo aqueles considerados integrais. O mesmo princípio funciona para as leguminosas, como feijões, lentilhas e grão de bico.

Tubérculos como a batata, batata-doce, cenoura e beterraba e a grande maioria das frutas também devem ser evitados na dieta cetogênica.

Alimentos ricos em açúcar como doces, refrigerantes, sucos de frutas e bolos são proibidos, igualmente os alimentos diet de baixa gordura, que possuem muito açúcar, e gorduras poli-insaturadas.

A pessoa também deve interromper totalmente o consumo de bebidas alcoólicas de qualquer tipo, que possuem carboidrato e podem interromper o processo de cetose.

O consumo de proteínas animais é bastante elevado, inclusive as proteínas processadas. Carnes, ovos, peixes, salsichas, presunto, tudo isso por ser consumido à vontade. Leite, queijos, creme de leite e manteiga também estão liberados. As gorduras também devem ser abundantes nesta dieta: óleos vegetais, como azeite de oliva, óleo de coco, azeite de dendê, além de abacate e nozes e sementes oleaginosas.

Também são consumidos muitos vegetais, principalmente as folhas verdes escuras, e algumas poucas frutas. É muito importante manter a hidratação em dia, para que o corpo consiga eliminar os líquidos retidos pela glicose e manter seu funcionamento normal.

Cabe ao profissional de nutrição e saúde orientar o paciente em suas escolhas e montar o melhor cardápio possível para seu paciente, de forma a ajudá-lo para que consiga seguir a dieta com sucesso.

Indicando a dieta cetogênica as pessoas

Uma boa forma de indicar a dieta cetogênica é ressaltar seus benefícios e sua forma de atuação no organismo, focando no consumo de gordura corporal e nos resultados mais rápidos que dietas de restrição de gordura.

Esta dieta proporciona um emagrecimento muito rápido e eficiente, devido ao consumo da gordura corporal como fonte de energia para o corpo. Isso é um grande atrativo para os pacientes que buscam perder algum peso de forma mais rápida e para aquelas pessoas que buscam perda de gorduras mais localizadas.

Ela também favorece o tônus muscular e é rica em ácidos graxos provenientes das fontes de gordura. Pessoas que praticam atividades físicas frequentes e querem uma melhor definição do físico podem se interessar nestes benefícios.

Para pessoas que sofrem com retenção de líquidos, a dieta pode ser indicada com uma aliada, já que favorece a eliminação da água retida no organismo pelo armazenamento do glicogênio.

O consumo elevado de proteínas e gorduras torna a dieta restritiva, mas a pessoa normalmente experimenta uma diminuição do apetite ao longo da dieta. Esse é outro fator que pode ser apresentado para o paciente como um ponto positivo e uma boa maneira de indicá-la.

Entretanto, o paciente deve ser alertado de possíveis desconfortos ao iniciá-la, como cansaço, fadiga e falta de disposição. Nesse ponto, o acompanhamento pelo profissional é fundamental para dar apoio ao paciente e indicar suplementos que possam ajudá-lo.

A indicação também pode ser baseada nas melhorias de condições médicas, se o paciente for portador de alguma condição que se beneficie de uma dieta sem carboidratos.

Para pacientes saudáveis, os benefícios da saúde também podem ser citados. A queda da pressão arterial, o aumento do colesterol bom (HDL), bem como a regulagem dos níveis de insulina podem ser usados como bons argumentos clínicos para a indicação da dieta aos seus pacientes.