fbpx

Dieta cetogênica: qual a melhor forma de indicar para as pessoas?


Os profissionais de saúde e nutrição sabem que existem vários tipos de dietas e programas de alimentação disponíveis, adequados às necessidades mais variadas das pessoas. Alguns deles ficam em evidência devido a seus resultados, outros são apenas modismos que não têm eficácia comprovada. Hoje vamos falar sobre dieta cetogênica!

Algumas dietas podem se adaptar melhor a um tipo de pessoa do que a outra e serem mais eficientes para determinados objetivos. Para indicar a melhor dieta ao seu paciente, é preciso conhecer bem o estilo de vida dele, seus objetivos, sua rotina, entre outros fatores. A avaliação em consultório dará um perfil completo do seu paciente.

É muito importante ter conhecimento de como funciona uma dieta e quais seus mecanismos de atuação para indicá-la ao paciente com confiança e fornecer todas as informações necessárias para que ele tenha sucesso.

A dieta cetogênica é uma opção para quem quer perder peso de forma eficiente e para aqueles que possuem condições de saúde mais específicas. Conheça mais sobre ela e saiba como indicá-la aos seus pacientes.

Como surgiu a dieta cetôgenica

A dieta cetogênica é baseada na ingestão mínima de carboidratos diariamente e surgiu como um tratamento médico para doenças neurológicas. Ela tem sido usada desde a década de 1920 para o tratamento de epilepsia refratária em casos de difícil controle, principalmente em crianças.

Com o avanço das medicações para o tratamento da doença, a prática caiu em desuso, mas voltou à evidência após estudos recentes e novas publicações científicas nesta área.

Estudos comprovaram que a dieta reduz drasticamente as crises epiléticas, sendo indicada amplamente pela Sociedade Brasileira de Epilepsia. Há outros estudos acerca da sua influência em outras doenças neurológicas, como o mal de Alzheimer.

Também há pesquisas relacionando a redução de glicose oferecida por esta dieta a benefícios para pessoas com Síndrome do Ovário Policístico, acne, câncer e diabetes tipo 2.

Como funciona essa dieta cetogênica

Essa dieta define um consumo máximo de 10% de carboidratos diariamente, focando o cardápio em proteínas animais, gorduras e vegetais. Sem os carboidratos, a glicose do sangue cai drasticamente e, dessa forma, o corpo entre em estado de cetose. Para o corpo, é como se fosse a simulação de um grande jejum.

Quando isso ocorre, os lipídios armazenados no corpo e os consumidos pela alimentação começam a ser metabolizados pelo fígado, formando os corpos cetônicos. Devido à falta de glicose disponível, o corpo consumirá os corpos cetônicos para obter energia, ou seja, sem carboidratos não há glicose. Sem glicose, o corpo começa a decompor a gordura armazenada no corpo e a gordura consumida na alimentação para poder desenvolver suas atividades diárias e sobreviver.

Quando esse processo é iniciado, grande parte das células usa a gordura decomposta para obter energia. Isso ocorre cerca de dois a quatro dias após o início da restrição de carboidratos, mas pode variar de pessoa para pessoa.

Como consequência do consumo de gordura corporal, ocorre a perda de peso de forma muito eficiente e rápida. Devido ao alto grau de proteínas dessa dieta e rápido consumido das gorduras corporais, além da perda de peso ocorre uma melhoria na massa muscular magra, seja pela acentuação dos músculos (devido à perda de gordura), seja pelo maior consumo de proteínas.