fbpx

Como funciona o jejum intermitente?


Perder peso e ter um corpo magro, bonito e saudável é o objetivo de várias pessoas. Atualmente, existem dietas e estratégias que se adequam a vários objetivos de emagrecimento e mudanças corporais, sendo adaptáveis aos estilos de vida mais diversos. Por isso hoje vamos falar do jejum intermitente.

O jejum intermitente é uma estratégia que tem sido muito difundida e utilizada amplamente por muitas pessoas que querem emagrecer. Como várias outras dietas, ele deve ser feito com o acompanhamento de um profissional de nutrição e saúde para que os riscos sejam minimizados e os resultados sejam mais eficientes.

O que é?

O jejum intermitente é uma estratégia usada para emagrecimento rápido e perda de gordura corporal. Ele intercala períodos de jejum total com períodos de alimentação. Nesta dieta, tão importante quanto o que se deve comer é quando se deve fazê-lo.

O período de jejum é intercalado por períodos nos quais é feita a alimentação, conhecido como janela de alimentação. A alternância destes intervalos visa estimular o emagrecimento.

O objetivo é estimular o metabolismo para que o corpo utilize os estoques de gordura durante o jejum, promovendo a perda de massa gorda e o emagrecimento.

Como funciona o jejum intermitente

Toda vez que não estamos consumindo alimentos, o corpo entra em um estado de jejum, como à noite, quando estamos dormindo. No jejum intermitente, o corpo é exposto a uma situação de jejum mais longa para estimular algumas de suas funções e reações que já acontecem normalmente.

O jejum faz com que o corpo entenda que está passando por um momento de ausência ou escassez energética. Desta forma, o cérebro altera os níveis hormonais do organismo, tornando a gordura armazenada nas células disponível para consumo. O corpo, então, consome esta energia disponível, reduzindo a massa gorda.

Além disso, outras alterações ocorrem no corpo ao fazer o jejum: uma delas ocorre nos níveis de hormônios do crescimento circulando no organismo, que sofrem um aumento, o que ajuda no ganho de massa muscular e na queima de gordura.

Outra mudança ocorre em relação à insulina: seus níveis caem drasticamente durante o jejum, e o corpo tem a sensibilidade a este hormônio aumentada.

O jejum também favorece os processos de reparação celular, com a remoção das proteínas disfuncionais e a produção de novas, processo que já ocorre naturalmente no jejum noturno e é estimulado pelo jejum controlado. Isso beneficia a restauração do organismo, tendo uma ação de antienvelhecimento.